Background Image

Destaque na música instrumental brasileira e mestre na improvisação, o multi-instrumentista, arranjador e compositor Ademir Junior está entre os melhores saxofonistas da atualidade.

Aos 7 anos iniciou sua jornada musical com aulas de solfejo com seu pai, mas os estudos sérios começaram aos 10 anos quando entrou para a Banda do SESI de Ceilândia. Com pouco mais de 2 meses na clarineta, o Juninho já se apresentava com a Banda. Neste mesmo ano se tornou o solista da Banda do SESI e o pequeno prodígio fez sua primeira gravação num trabalho do cantor Oswaldo Montenegro.

Determinado, completou em menos de 2 anos todas as lições do Klosé, método francês com mais de 600 páginas. Vencendo todas as barreiras técnicas do instrumento, foi indicado para ingressar na Universidade de Brasília com apenas 13 anos. Sem idade ainda para prestar o vestibular, finalizou o curso de clarineta como aluno de extensão com o professor Luiz Gonzaga Carneiro. Em 1993 conquistou a segunda colocação no concurso de jovens solistas em Piracicaba, São Paulo.

Aos 18 anos Ademir decide estudar o saxofone. Autodidata, tem contribuído para a história do saxofone no Brasil popularizando as possibilidades técnicas do instrumento, sendo cada interpretação popular do saxofone uma extensão do seu conhecimento erudito. A desenvoltura técnica, melódica, amplo e moderno conhecimento harmônico e riqueza de possibilidades rítmicas propicia ao músico total controle da situação no palco. Faz do instrumento uma ponte para a comunicação com o público, desenvolve ideias simples e profundas. Em suas mãos o saxofone parece ser fácil.

Há mais de 30 anos como profissional, o brasiliense emociona plateias e faz todos que o ouvem, se orgulharem em como esse músico representa a arte musical brasileira. Aclamado por grandes músicos da atualidade como um gênio musical.


App Screenshot

Foi o primeiro saxofonista brasileiro da música popular a ser artista da maior marca de saxofones no mundo, a Selmer Paris, e primeiro clarinetista do país a assinar com outra grande marca de boquilhas e acessórios, a Vandoren.

Na clarineta dá continuidade ao legado deixado por Paulo Moura, mesclando a improvisação jazzística inserida nas riquezas da música brasileira e popularizando os valores do instrumento, se tornando uma referência para um incontável número de seguidores.

Clique aqui para ver
a discografia

Escritor do livro “Caminhos da Improvisação”, baseado em seu conhecimento e experiência em mais de 50 cursos lecionados no país. Lança este ano seu sétimo CD, “Espiral”, gravado com a Orquestra JK, em comemoração aos seus 30 anos de carreira. Seus outros álbuns são: “Gratidão” - 2002, “Vitória na Cruz” – 2007, "Brasilidades" lançado em 2009, com participação especial de Hermeto Pascoal, “Camaleão I” lançado em 2013 com participação do saxofonista Bob Mintzer - indicado ao Prêmio da Música Brasileira, “Camaleão II – Sensações” gravado em 2015 com ênfase em ritmos nordestinos e “O Brasil do Saxofone” com Ademir Junior e Baptiste Herbin, gravado em 2016 ao vivo no Clube do Choro após uma turnê na França pelo mesmo projeto.

Adquira o livro Caminhos da Improvisação

Em sua trajetória idealizou a Brasília Big Band, hoje intitulada "Orquestra JK", formada por 18 músicos profissionais de Brasília. Participou do volume 124 da série de playbacks de Jamey Aebersold, onde o tema é musica brasileira, com 3 solos de clarineta como demonstração. Em Março de 2005 se apresentou com o Grupo Choro Livre no Festival de Culturas e civilizações dos povos do deserto em Dubai.

Em 2005 idealizou o Curso de Improvisação como matéria do Curso Internacional de Verão de Brasília (CIVEBRA), na Escola de Música. Participa de cursos e festivais motivando e educando na arte e no conhecimento técnico da improvisação e como maestro de Big Band. Clique aqui para ver todos os cursos

Sua mente se aperfeiçoou em pensar cada momento musical como se tivesse horas para resolver situações que se desdobram em milésimos de segundos. Costuma colocar valores da Vida acima da Música e afirma que são nesses valores que se concentra nos momentos de improvisação.

Foi condecorado com as seguintes comendas do Governo de Brasília por seus relevantes serviços prestados à Capital Federal: Ordem do Mérito Brasília, Ordem do Mérito Dom Pedro II, Defesa Civil, Mérito Buriti, Mérito Alvorada e Mérito Golden Phoenix da Polícia Federal, Mérito do Músico Militar, Medalha da Academia Brasileira de Artes, Cultura e História no grau de Maestro e Mérito da Policia Federal, Mérito Musical Anacleto de Medeiros pela Banda de Música do CBMDF.

Já se apresentou e gravou com vários artistas, entre eles, Chris Potter, John Patitucci, Bob Mintzer, Paquito D’Rivera, Baptiste Herbin, Hermeto Pascoal, Mat’nalia, João Bosco, Roberto Menescal, Rosa Passos, Alexandre Pires, Elza Soares, João Donato, Ed Motta, Toninho Horta, Guinga, Arthur Maia, Idriss Boudrioua, Toninho Ferraguti, Jhonny Alf, Nico Assumpção, Lula Galvão, Alexandre Carvalho, Vitor Santos, Hamilton de Holanda, Grupo Solo Brasil etc.

Atualmente é Artista Selmer e Vandoren, Maestro da Orquestra JK, Diretor Artístico da JK Produções Musicais, Diretor Cultural da International Police Association no Brasil e Músico da Banda do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

Clique aqui para ver
minha Linha do Tempo

Insta Gram

    Me acompanhe em @ademirjuniorjazz